Participação colectiva dos Vizinhos do Areeiro na “Operação de loteamento na Sacadura Cabral e Projecto em consulta pública”

Screen Shot 11-27-17 at 10.15 PM

“Espaços Verdes:

1. Realçamos o desafogamento do jardim público abrindo mais as duas entradas

2. Poderia ser eventualmente pertinente ter em consideração que num terreno com estas dimensões o aparente fecho ou reclusão das zonas verdes desta forma, ainda que tenham acessos previstos, acarreta problemas de segurança e só se ganharia se houvesse uma maior exposição destas zonas ao domínio público de forma a gerar maior conforto na população

3. A questão fundamental é a abertura essencial do quarteirão à cidade para o usufruto do jardim pela população e não apenas umas passagens. Quanto ao hotel é também fundamental a bolsa de acesso para não cortar a via

4. O espaço verde deve ser publico e com vários acessos amplos. A arquitectura deve ser integrante com o património existente não criando clivagens

Estacionamento:

1. A zona de tomada e largada de passageiros do hotel parece exígua para um autocarro e automóveis em simultâneo. Há que acautelar que os autocarros não bloqueiem o trânsito tal como acontece nos outros hotéis da cidade e, muito especialmente, frente ao Hotel Roma (Av de Roma)

2. Devem ser salvaguardados os lugares de estacionamento previstos e em caso algum deverá ser licenciado posteriormente qualquer tipo de comércio que acarrete um volume de tráfego superior ao número de lugares que não estejam inicialmente contemplados

3. Avaliar a possibilidade do estacionamento em espinha como uma solução de aumento de lugares disponíveis.

4. Havendo um acréscimo significativo de população naquela zona roga-se ás entidades responsáveis uma fiscalização de estacionamento mais responsável e activa, com critérios que sirvam a comunidade

5. Na Sacadura Cabral já não há estacionamento suficiente para os moradores, assim vai-se construir algo que irá saturar mais uma zona já demasiado saturada de estacionamento. O Parque pago previsto não chegará, certamente, para compensar este aumento de uso. Ter em conta que hoje já temos um parque que comporta cerca de 400 carros diariamente, que irá desaparecer com o prejuízo de quem habita na zona.

Espaços de Gestão Municipal:

1. É saudar a inserção de um espaço de gestão municipal com uma cresce para 30 crianças, ATL e um centro de dia e lar para 70 utentes.

Trânsito:

1. Problemas de tráfego potencialmente ocorrentes em virtude da zona de serventia ao Hotel, verificando-se que não há existência de impasse que assegure o normal escoamento do tráfego quando ali pare um pesado de passageiros

2. Qual vai ser o impacto no escoamento do trânsito que se faz pela Sacadura Cabral, que a partir das 17:30, fica praticamente intransitável? A ter em conta: especialmente durante o período da construção

3. Se já actualmente a Rua David Sousa não tem capacidade de escoamento para tantos automóveis estas construções só poderão agravar, ainda mais, a situação. A abertura para a rua de Entrecampos devia ser de carácter permanente e não só em certas ocasiões. Temos 2 entradas para 1 saída de tráfego

Integração com a malha urbana da zona:

1. A criação de “mega quarteirão” apresentará dificuldades a nível de ligação com o existente, não só pela escala como pela arquitectura em si. Pede-se um especial cuidado ao(s) projectista(s) no sentido de garantir o estudo destes problemas da melhor maneira de forma a garantir um resultado que dignifique a malha onde se integra. Como está quebra-se o equilíbrio urbanístico nomeadamente na métrica dos quarteirões

2. Do lado interior da Sacadura Cabral, do lado do passeio norte a média de pisos é 4-5 até ao Cockpit Bar sendo que do passeio sul os prédios são todos da mesma altura 5 pisos. Mas estas novas construções terão 6, 7 e 8 andares: isso vai criar desarmonia no espaço urbano. O 7º piso, comparando com o conjunto dos prédios envolventes, parece excessivo

3. Se a Praceta só tiver acesso pela João Villaret será pouco prático, pouco seguro e rouba o espaço verde aos moradores do bairro, encerrando-o. Torna-o um jardim quase privado. Também não esquecer que o terreno tem um rio por baixo, nasce água e tudo.

4. Redesenhar o espaço em “H” por forma a reduzir a escala do quarteirão tornando-o mais “caminhável” e abrindo as zonas verdes, tornando-as públicas. A opção oferece também múltiplos acessos aos edifícios não centralizando tudo nas mesmas ruas. A compensação das áreas poderá ser conseguida mediante o aumento das cérceas dos blocos centrais

5. Seria interessante avaliar um projecto com uma praça tipo as que existem aqui na freguesia e que funcionam tão bem como a Afrânio Peixoto, Pasteur e João do Rio

6. Não se percebe o porquê dos gavetos terminarem em esquinas, ângulos rectos, e não assotados como as pré-existências.

7. Há dúvidas de que a “regra dos 45°”, altura das cérceas, esteja a ser violada. Existem volumetrias ou perfis transversais?

8. A creche não deveria possuir um jardim infantil para recreio das crianças?

9. A enclausura construtiva origina “ilhas de calor”: por falta de ventilação transversal, tem impacto na eficiência energético e na concentração de partículas leves, nocivas para a saúde.

10. Os quarteirões deveriam ser interrompidos na direção dos ventos dominantes; Norte em Lisboa. Se os túneis tem esse efeito, atenção à aceleração do vento, poderão tornar o jardim pouco aprazível.

Logradouro:

1. Consternação pela existência de um logradouro que aparenta grande susceptibilidade de ocorrência de situações que causem insegurança, dado o seu carácter escondido e acessos diminutos. Se o logradouro vai ser público devia ter uma entrada mais desafogada.

Comércio:

1. Os espaços comerciais a criar e as suas características devem contemplar as necessidades daquela zona, onde o pequeno comercio tradicional ainda (!) subsiste, de forma vigorosa, e não merece concorrência desleal por parte de mega superfícies de consumo. Tudo isto para tentar a salvaguarda das pequenas lojas de bairro existentes

Habitação:

1. É preferível que no sector habitacional existam várias tipologias, e ainda uma maior marcação nas esquinas, nomeadamente via torre com mais dois pisos (ver exemplos da Sidónio Pais/Antonio Augusto de Aguiar/Areeiro)

2. Propomos cotas para misturar as classes sociais, com contrapartida e a troco de mais m2, propomos torreões e mais altura nas esquinas para inclusive de forma psicológica, marcar a divisão, diversificar as tipologias, manter os arruamentos idênticos ao local.

3. Esperemos que seja realizado é cerzida a malha urbana com resolução de estacionamento comunitário no miolo do quarteirão. Pequenas pracetas de proximidade. Diversidade de lotes, com cotas para realojamento social e de inclusão no r/c

4. Os moradores dos prédios da Rua David Sousa vão ter visibilidade para os interiores dos quartos do hotel dado que a distância entre ambos parece ser demasiado pequena.”

Ruído:

1. As barreiras existentes não parecem suficientes sobretudo porque as medições são feitas ao nível do solo, e a linha está em forma de anfiteatro sendo ruído projectado para os pisos superiores. Assim em vez dos 80 dba legais registam-se frequentemente 96-104 dba (para quem não sabe um aumento de 3 dba significa o dobro do ruído, ou seja 8 x mais neste caso)

Obrigado ao Jorge Oliveira: sem o seu olhar atento não teria sido possível participar nesta consulta pública !
(E a todos os deram para aqui contributos:

Jorge Oliveira

Rui Martins

Pedro Stichini Vilela

Júlia Barros

Marina Pancadas

Nuno Dinis Cortiços

Leonardo Rosa

Gonçalo C. da Silva

Rodrigo Brito

Ana Paula Sampedro

Graça Margarido Mick Greer

Pedro Hebil)

https://vizinhosdoareeiro.wordpress.com

Anúncios

3 thoughts on “Participação colectiva dos Vizinhos do Areeiro na “Operação de loteamento na Sacadura Cabral e Projecto em consulta pública”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s