Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017

Sobre a recente intervenção da CML no Bairro do Arco do Cego há que deixar, pelo menos, quatro agradecimentos à CML e à JFA:
Foi removida uma parte da “floresta de pilaretes” (nomeadamente junto ao Filipa):
Foram criadas as zonas de tomada e largadas de passageiros junto à escola que não existiam inicialmente
Feita uma reversão (parcial) dos sentidos de trânsito da Xavier Cordeiro após pedidos de vários moradores:
e a falta de passadeiras e os pilaretes em curvas impossíveis foram, parcialmente, resolvidos:
Referi a existência da petição (ainda aberta a assinaturas mas já entregue na Assembleia Municipal) e que será também, em breve, enviada à Assembleia da República: http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=FilipaParaTODOS e onde se diz que a “área geográfica diminuta que serve o Agrupamento dá origem a situações que, não sendo ilegais, contornam a lei, como a utilização de encarregados de educação falsos” e onde se propõe a “revisão do mapa que distribui os alunos pela escolas de Lisboa”. Tendo as escolas situadas mesmo no coração do Bairro mais de 2000 alunos e o conjunto dos ministérios e instituições públicas que rodeiam empregam milhares de funcionários (só a CGD já teve 4 mil). Esta situação, juntamente com uma área de cobertura desenhada a esquadro por forma a permitir matrículas por estes funcionários e a existência de muitas “moradas falsas” (http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=MoradasFalsas) dá origem a uma concentração anormal de circulação automóvel e ao estacionamento de veículos junto às escolas. A regularização desta situação pode ocorrer através do redesenho da área que serve a escola alargando-a a mais moradores e reduzindo assim as possibilidade de os trabalhadores dos ministérios ali inscreverem as suas crianças (que recolhem e deixam de carro, todos os dias, transitando depois para fora do Bairro). Na Sessão não estavam representantes da CML que pudessem participar no processo de redesenho das zonas (estavam presentes apenas técnicos), mas a informação foi deixada à mesa.
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
A 17 de Abril de 2016 os Vizinhos do Areeiro pediram à CML a realização de uma sessão de esclarecimento sobre as obras no Bairro do Arco do Cego com a presença do RSB e da Polícia Municipal.
Saudamos e louvamos a Junta de Freguesia por ter reforçado este pedido.
Agradecemos à CML por ter acedido a este pedido.
Não louvamos o terem feito esta sessão apenas no termo desta intervenção e não no seu começo.
Não louvamos a falta de divulgação da sessão (toda a divulgação que existiu foi feita pelo colectivo Vizinhos do Areeiro)
E, sobretudo, espantou-nos a ausência de qualquer eleito ou membro (vereador) do executivo da Câmara Municipal de Lisboa.
A data escolhida para a Sessão de Esclarecimento sobre as Obras do Bairro do Arco do Cego (19 junho) não foi a melhor: a data (começo das férias escolares) levou à ausência de vários moradores (que enviaram as suas questões aos Vizinhos do Areeiro), a antecipação de apenas uma semana dificultou a divulgação e nem a CML nem a Junta estiverem no seu melhor quanto à divulgação já que não distribuíram folhetos nem afixaram os ditos nos mupis da freguesia.
Uma moradora mencionou a existência no Bairro de inúmeros cabos de comunicações entre edifícios como se podem (infelizmente) observar em muitos países do 3º mundo. Questionada a mesa, várias vezes, sobre essa questão, foi tomada nota da observação para posterior tratamento por parte da CML.
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Questionei os representantes da CML sobre as novas pinturas a vermelho no betuminoso da Rua Brito Aranha e se estariam no Código da Estrada. A resposta por parte dos representantes da autarquia (técnicos) foi de que seriam indicações de reforço às barras de estacionamento proibido (barras amarelas contínuas) e que seriam um “projecto piloto” desenvolvido a partir de experiências no estrangeiro indicando aos eventuais prevaricadores que estariam a estacionar os seus carros em zonas que impedem o acesso aos veículos dos bombeiros.
(existem, contudo, zonas com essas barras fora das curvas onde a explicação não se aplica)
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Questionei os técnicos da autarquia sobre os vários sinais verticais sem nº no Bairro. A resposta foi de que sim, de que isso estaria a ser tratado e que, em breve, todos os sinais teriam as marcações que os legalizam (e que permitem multas com base nas suas indicações)
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Questionei os técnicos da CML presentes na Sessão sobre os estacionamentos demasiados estreitos e insuficientes em quantidade em metade do Bairro e se haveria planos para os corrigir. A resposta foi de que não, que os espaços para estacionamento estão condicionados às dimensões reduzidas das ruas do Bairro e que, em alguns lugares esse espaço foi até alargado. O espaço parece agora mais reduzido, segundo os técnicos da autarquia, por uma questão de percepção criada pelas marcações exactas no solo do lugar de estacionamento que, antes de 2015, não existiam.
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Questionei os representantes (técnicos) da CML sobre a recente redistribuição de floreiras que, inclusivamente, foi uma surpresa para alguns dos moradores que vivem nas ruas onde foram redistribuídas. A resposta foi que isso teria que ver com as marcações a vermelho (para os bombeiros) e com ajustamentos dos ângulos de curva. Quanto à replantação e rega foi prometida para em breve.
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Uma moradora sugeriu a limitação (exclusividade) de acesso ao Bairro a moradores. Os representantes (técnicos) da CML consideraram que essa opção não se podia colocar tendo havido outros moradores que exprimiram posições no mesmo sentido.
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Vários moradores agradeceram aos representantes da CML e da Junta a organização desta sessão e pediram que fosse aberta uma Consulta Pública sobre esta intervenção no Bairro.
(os técnicos presentes – CML – informaram não estarem em condições de garantirem tal continuidade)
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Moradora: “o Bairro não está melhor (…) não se pode estar diariamente a introduzir mais mudanças o que cria grande confusão às pessoas”
(referindo-se às várias alterações de sentido que ocorreram: muito por sugestão de segurança e dos RSB outras (Xavier Cordeiro) por pedido dos moradores)
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Moradora: “O agrupamento de escolas do Filipa de Lencastre tem 2100 alunos. 90% destes são externos, não moram no Bairro. Só isso pode explicar que o Bairro esteja intransitável não se conseguindo circular, aqui, às horas de ponta. Esta situação agravou-se com as Obras e pode também ter a ver com o afluxo de alunos que vieram do ensino privado. Muitos pais estacionam no Bairro, durante uma hora, enquanto esperam pelos filhos. A Zona 20 não funciona: ninguém a respeita”
(infelizmente não estava presente com competências – da CML – dessa área, mas a informação foi entregue aos técnicos presentes)
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Moradora: “Quando as proibições são excessivas (bandas de cor amarela e vermelha, separadores verdes e múltipla sinalética) as pessoas não as respeitam”
Morador: “esta sinalética introduz um excesso de informação no Bairro que gera a confusão”
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Moradora: “A vida das pessoas foi tornada num inferno com a vossa intervenção”
A isto contestaram os técnicos da CML que o Bairro está bastante melhor que antes, em 2015, nomeadamente no betuminoso e nos passeios.
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Arquitecto da CML: “Antes desta intervenção existiam 396 sinais verticais. Hoje existem 183”
(Respondendo à minha observação de que haveria um excesso de sinalética vertical no Bairro)
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
As floreiras deverão ficar (mas o assunto não está fechado) e foram todas colocadas ou a pedido dos moradores para garantirem melhor a iluminação das suas casas ou curvas mais amplas a veículos pesados (Arquitecto da CML)
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Afirma o Arquitecto da CML presente na sessão: “vários moradores pediram lombas mas estas têm desvantagens como o aumento do ruído. Passado um mês, as pessoas pedem para as tirar por causa do seu barulho ensurdecedor. Lombas demasiado altas dão lugar a queixas em tribunal por danos nos veículos. No nosso entendimento as lombas não são adequadas para resolver o problema da velocidade de circulação no Bairro (para 20)”
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Arquitecto da CML: “As bandas vermelhas são apenas um reforço para que não haja aqui estacionamento. Esses locais já têm bandas amarelas que impedem o estacionamento nestes locais. São, assim, meramente informativos e seguindo um modelo já testado com sucesso no estrangeiro”
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Arquitecto da CML: “em vários locais no Bairro a largura do passeio pedonal foi aumentada” (…) “O baixo desnível dos passeios advém da implementação da Zona de Coexistência (a primeira em Portugal e uma das primeiras do mundo). A Lei permite – neste caso – espelhos com até 2 cm”
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Arquitecto da CML: “Foram instalados novos 48 sumidoiros em todo o Bairro. Todos os tubos de queda dos pluviais foram desviados para os tubos de esgotos”
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Arquitecto da CML: “No Bairro existiam em 2015 763 estacionamentos. Agora existem 693 sem incluir as floreiras”
(um morador contestou alegando que – comparando os projectos – a redução teria sido de 30%)
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Arquitecto da CML: “Está em estudo a implementação de uma Zona Vermelha no Bairro e o pagamento do estacionamento até às 23:00 ou 24:00. Existem cerca de 300 moradores o que dá uma taxa de estacionamento acima da média da cidade de Lisboa o que significa que existe um grande afluxo de carros de não moradores ao bairro. No total, desde 2015, perderam-se 9.3% de lugares de estacionamento”
(um morador contestou alegando que – comparando os projectos – a redução teria sido de 30%)
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Arquitecto da CML: “Vai haver em breve uma intervenção na Avenida do México com vista a aumentar, aqui, a quantidade de lugares de estacionamento”
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Arquitecto da CML: “Os lugares de estacionamento que existiam no Bairro a menos de cinco metros das passadeiras foram suprimidos”
(alguns moradores contestaram invocando que ainda existiram alguns)
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Arquitecto da CML: “Está prevista para breve a entrada no Bairro de carros de recolha de resíduos sólidos de menores dimensões como já acontece hoje em dia nos Bairros Históricos de Lisboa”
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Morador: “Quanto já custo a intervenção da CML no Bairro do Arco do Cego e quanto vão custar, ainda, as intervenções que falta executar?”
Os técnicos da CML informaram não estarem em condições de poderem responder.
(um morador referiu que o valor afixado à entrada do Bairro era de 420 mil euros)
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
Morador: “Estas obras vieram deixar entrar mais carros de forasteiros ao Bairro” (…) “Quem teve a ideia de fazer desaparecer os lancis cometeu um verdadeiro crime”
O arquitecto da CML respondeu que a redução dos lancis aveio da implementação do conceito de Zona de Coexistência e que o aumento de veículos não foi previsto mas que resulta da presença da Escola no interior do Bairro
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
(Pedida pelos Vizinhos do Areeiro a 17 de Abril de 2016)
Morador: “A Rua Caetano Alberto tem agora mais trânsito e existem mais carros a entrar na escola. Nos cruzamentos temos agora lugares de estacionamento mesmo em cima do dito, o que dificulta a visibilidade e obriga a entrar no cruzamento para confirmar se há carros a passar”
(não registei resposta, mas dois outros moradores referiram a necessidade de repor o sinal de stop vertical que existia na Brás Pacheco e à saída do Parque da Empark (que foi referido estar de noite praticamente vazio o que vai de encontro a um pedido antigos dos Vizinhos quando ao abaixamento dos preços destes parques)
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
(Pedida pelos Vizinhos do Areeiro a 17 de Abril de 2016)
Morador: “Nunca vemos polícias no Bairro. Estes são necessários, especialmente na hora de ponta das entradas e saídas das escolas”
(a Polícia Municipal estava presente e registou este pedido)
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
(Pedida pelos Vizinhos do Areeiro a 17 de Abril de 2016)
Morador: “em dias de chuva como as ruas são planas a água acumula-se cria lagos e tapetes de água”
Segundo o arquitecto da CML isso (ruas planas) fazem parte do projecto do bairro pedonal e foram reforçados os sumidoiros precisamente para obstar a esse efeito. A CML, contudo, vai avaliar a situação.
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
(Pedida pelos Vizinhos do Areeiro a 17 de Abril de 2016)
Morador: “Não ouviram nem responderam aos e-mails. Há problemas com os lugares de estacionamento e com sinais de passadeiras mal colocados. Removeram 13 bancos nos jardins. A CML criou um problema na zona quando interviu na Visconde Valmor (deviam ter feito a via no passeio largo) porque isto levou a uma grande diminuição da fluidez do trânsito. Por outro lado, no Bairro, há uma grande falta de papeleiras. Por fim, em todo o Bairro há setas de direcção no solo pintadas e raspadas”
Resposta do Arquitecto da CML: “As setas de direcção no chão não faziam parte do projecto. Tendo sido, certamente, um erro de projecto. Em breve, serão marcados sinais de “20” no solo. As alterações de sentidos de direcção resultaram de reclamações de moradores (como a dos Vizinhos do Areeiro quanto à Xavier Cordeiro que foi, apenas, parcialmente atendida). É normal a CML reagir quando a obra se encontra em processo de monitorização. O modelo das barras vermelhas funcionou noutros países tendo sido testado em Portugal, em Piloto, neste Bairro. Os Bancos em falta não estão esquecidos e vão voltar (40 novos bancos) assim como 88 novas papeleiras sendo duas das quais de grande capacidade (120 litros) junto à escola. Por fim, as floreiras com flores mortas serão tratadas e a plantas substituídas e a manutenção cuidada. A situação das ruas do Arco do Cego e da Visconde Valbom está em revisão (informou a directora municipal de mobilidade). A diretora informou que sabem que há aqui um problema que foi confirmado na última semana de aulas e apenas o seu cessar veio fazer diminuir. O objetivo é resolver estes problemas antes do começo das aulas. O policiamento, por sua vez, também será reforçado logo que a sinalização estabilizar”
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
(Pedida pelos Vizinhos do Areeiro a 17 de Abril de 2016)
Morador: “Faltam indicações para onde se pode virar e de proibição de acesso a ruas pelos carros que acabam de deixar as crianças nas escolas. Faltam, também, espelhos nas curvas. Foram abatidas seis árvores: peço que sejam substituídas e floreiras mais pequenas”
Resposta do técnico da CML: “As novas árvores (substituindo as abatidas) serão plantadas em Outubro e Novembro – como deve ser – e a sinalética está em estudo podendo haver ajustamentos (nomeadamente na Gomes Leal).
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
(Pedida pelos Vizinhos do Areeiro a 17 de Abril de 2016)
Moradora: “Que incongruências houve entre o projecto e a sua execução? Quem responde por elas e pelos pilaretes derrubados junto à Marconi que terão que ser substituídos?”
Resposta do técnico da CML: “O acesso via Marconi está em revisão (via Praça de Londres). Estas eventuais alterações visam facilitar o acesso e dissuadir a entrada de veículos pelo parque de estacionamento Empark. Quanto aos pilaretes. O conceito era de os aplica apenas junto às escolas mas acabou sendo alargado (não faziam parte do projecto)
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
(Pedida pelos Vizinhos do Areeiro a 17 de Abril de 2016)
Moradora junto ao Agrupamento de Escolas: “Vim morar para o Bairro porque ficaria perto de uma escola por ser uma zona calma para viver e junto a um jardim. Tudo isso acabou. Tenho xixi e cocós de cães mesmo em cima das minhas janelas e os donos de cães, quando lhes pergunto porque trazem, todos, para aqui os seus animais, respondem que o fazem porque o pequeno jardim frente à minha casa já é o mais degradado. Mesmo ao lado vejo passarem carros pela Xavier Cordeiro em alta velocidade (alguns em contra-mão): todos vão na direcção da escola”
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
(Pedida pelos Vizinhos do Areeiro a 17 de Abril de 2016)
Morador: “faltam os prometidos – e em projecto – lugares para motociclos”
Resposta do arquitecto que representava a CML: “Já foram criados todos os lugares para motociclos, mas, eventualmente podem aumentar se virmos necessidade”
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
(Pedida pelos Vizinhos do Areeiro a 17 de Abril de 2016)
Morador: “faltam traçados separando vias contrárias na Rua Brito Aranha assim como um sinal de Stop à saída do Parque da Empark para a Brás Pacheco”
Resposta do arquitecto da CML: “Vamos ver a situação do sinal de Stop e a possibilidade de marcação na Brito Aranha”
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
(Pedida pelos Vizinhos do Areeiro a 17 de Abril de 2016)
Morador: “Na Bacelar e Silva faltam sistemas de redução de velocidade. Esta intervenção devia resolver problemas não criá-los (alguns moradores referiram que lhes bastaria uma substituição do betuminoso).
Em resposta a directora municipal da mobilidade admitiu que esta sessão existiu por falta de esclarecimento sobre as obras e que esta sessão visava suprir precisamente essa lacuna)
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
(Pedida pelos Vizinhos do Areeiro a 17 de Abril de 2016)
Morador: “Houve várias reduções de lugares de estacionamento. Quem pediu as floreiras nas vivendas? Aproveito para aplaudir a chegada da Zona Vermelha ao Bairro” (alguns moradores discordaram)
Resposta do arquitecto da CML: “A inversão de alguns sentidos de rua ocorreu devido à localização dos quartéis de bombeiros que vão acorrer ao Bairro em caso de necessidade.
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
(Pedida pelos Vizinhos do Areeiro a 17 de Abril de 2016)
Morador: “na Avenida Magalhães Lima existem várias secções de calçada (artística e dos anos 1930) que estão em más condições apesar de já terem sido feitos já vários pedidos à CML (sendo artística a competência não é da Junta). A técnica responsável presente na sessão anotou o Pedido e vai dar continuidade ao mesmo.
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
(Pedida pelos Vizinhos do Areeiro a 17 de Abril de 2016)
Morador: “existe um excesso de pilaretes nas esquinas da Avenida Magalhães Lima que ocupam vários possíveis lugares de estacionamento”.
O técnico (arquitecto) da CML respondeu que essas instalações foram das primeiras e prendiam-se com o facto de ser uma zona muito frequentada por menores a caminho da escola.
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
(Pedida pelos Vizinhos do Areeiro a 17 de Abril de 2016)
Moradora: “depois das obras os estacionamentos junto ao Filipa ficaram dramáticos havendo aqui uma grande falta de lugares”.
A resposta dos técnicos da CML foi reiterar a redução de menos de 10% dos lugares de estacionamento disponíveis no Bairro
(Sessão de Esclarecimento sobre as Obras no Bairro do Arco do Cego de 19.06.2017)
(Pedida pelos Vizinhos do Areeiro a 17 de Abril de 2016)
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s