Fim das varandas ilegais no Areeiro: Proposta à CML

screen-shot-01-27-17-at-12-50-pm
(fotografia de André Figueiredo)

No Areeiro – como em todas as freguesias de Lisboa – pode observar-se o fecho de varandas, criando marquises inestéticas e que violam o projecto (geralmente de grande qualidade) dos edifícios modernistas do nosso bairro.
Os subscritores desta mensagem convidam a CML a iniciar um projecto piloto na freguesia do Areeiro que resolva este problema através de uma abordagem multifacetada:
1) levantamento de todas as marquises e varandas fechadas que colidam com o projecto autorizado
2) contacto com os proprietários destas marquises no sentido de:
os sensibilizar para este problema
disponibilizar alternativas para os seus problemas de isolamento térmico e sonoro
3) criar, com os proprietários, um plano de remoção de marquises
Sugerimos ainda que a Autarquia – após décadas de inércia – contribua para este problema não de uma forma punitiva (coimas) mas através da criação de mecanismos de remoção voluntária de marquises para os residentes que comprovem não terem condições económicas para financiarem essa remoção designadamente através da:
1) disponibilização, a custos de aquisição, de soluções de isolamento térmico e sonoro de janelas adquiridas em grande quantidades (com economia de escala) pela CML e revendidas, a preço de custo, a este munícipes
2) realizar, sem custos, a desmontagem destas instalações
3) em casos extremos, de manifesta insuficiência económica, financiar na íntegra essa remoção e a instalação de um isolamento térmico e sonoro nas janelas que ficam expostas com a remoção dessa marquise.

Subscrevem:
Rui Martins
João P Martins
João Banazol
Clara Ribeiro
Fernando Duarte
Catarina Rebelo
Maria Cortez Caetano
Jacinto Manuel Apostolo
Mira de Lacerda
Nitucha Jacques
Fernando Seabra
Rita Costa
Vasco Ribeiro
António Augusto Ventura
André Figueiredo
Paula Amoroso
Manuela Melo
Helena Julião
Zé Pedro Leitão
Carla Duarte
Ines Domingos
Jorge Oliveira
João Guerreiro Barreto
Margarida Vaz
Elisabete Henriques
Celestina Costa
Margarida Paiva
Marta Soares
Manuela Paixão
Bernardo Ferreira De Carvalho
Ana Fonseca Leonardo
John Rosas Baker
Gloria Morales Delos Rios
Isabel Primoroso
Sue M Pinto
Pedro Mendes Pinto
João Da Costa Tavares
Filipa Fernandes Figueiredo

Anúncios

One thought on “Fim das varandas ilegais no Areeiro: Proposta à CML

  1. Como já algum tempo atrás comentei , tenho um longo historial de combate às marquises ilegais ( quase todas o são), que no início desta década teve alguma repercussão nos meios de comunicação e do qual parte da atual vereação da CML tem conhecimento.
    Entre o que gostava que acontecesse ( basicamente o que é proposto pelos subscritores) e o que pragmaticamente me parece possível, vai uma grande diatância e receio bem que o ótimo mais uma vez seja inimigo do bom.
    Vejo altamente improvável que situações consolidados pelo tempo de apropriação dos espaços das marquises por parte de famílias que entretanto cresceram, sejam mais ou menos irreversíveis.
    Creio assim que os esforços se deveriam centrar em dois eixos:
    A) Um controlo apertadissimo garantindo que nenhuma nova marquise é fechada
    B) Uma progressiva ação de persuasão e criação de condições para que todas as marquisses sejam revestidas de estores brancos exteriores o que harmonizaria as fachadas dos prédios com ganhos estéticos enormes e prejuízos minimos dos proprietários.
    Uma campanha da CML visando a legalização das ditas marquises mediante a contrapartida da colocação dos estores parecer-me-ia muito eficaz.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s