Parque de estacionamento da Alameda (explorado pela Empark): Abusos dos lugares de estacionamento reservados para cidadãos com mobilidade reduzida [Parcialmente resolvida]

screen-shot-01-24-17-at-01-14-pm

Enviada a 2 de Novembro à Empark “No parque de estacionamento da Alameda (explorado pela Empark) os abusos dos lugares de estacionamento reservados para cidadãos com mobilidade reduzida são constantes.
A Empark Aparcamientos y Servicios S.A. tem conhecimento destes abusos? Conta proceder a alguma iniciativa por forma a impedir os mesmos?”

Resposta de 23 de Janeiro de 2017:
Acusamos a receção da exposição apresentada por V. Exas. no mail de 02 de Novembro, apresentando desde já as nossas desculpas pela demora na resposta.
Relativamente ao assunto abordado na prezada exposição, vimos transmitir o seguinte:
Decorrentes do DL 81/2006 de 20 de Abril, os lugares anteriormente reservados exclusivamente a pessoas de mobilidade condicionada, foram alargados à utilização por parte de grávidas e acompanhantes de crianças de colo, sendo que nestes dois últimos casos não é necessário o uso de dístico.
Esta realidade tem contribuído amiúde para que estes lugares se encontrem quase sempre ocupados.
Há, no entanto, situações que extravasam a nossa capacidade de atuação e que nem sempre é fácil de contestar face à falta de razoabilidade e civismo de alguns cidadãos, tornando-se assim difícil de controlar a ocupação legítima destes lugares. Quando assim acontece os funcionários têm instruções para apelarem  ao bom senso dos clientes e alertarem para a situação de estacionamento abusivo.
Não é, contudo, o exemplo do parque da Alameda, já que temos verificado que a maioria das pessoas que aí estacionam as suas viaturas são pessoas com mobilidade reduzida efetivamente, ainda que se enquadrem no grupo que não carece do uso de dístico na viatura.
Neste parque, por exemplo, já por várias vezes os funcionários chegaram à conversa com condutores que utilizaram esses lugares, aparentemente indevidamente, mas que afinal se verificou terem direito por lei.
Não obstante o exposto, a direção do parque teve em conta a observação feita por V. Exas. e por isso deu instruções ao pessoal do parque para serem ainda mais diligentes neste controlo. O resultado até então tem sido positivo, na medida em que a ocupação destes lugares tem sido feita por pessoas com mobilidade condicionada/reduzida”

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s